sábado, 13 de junho de 2009

Os Maiores Equívocos e Falácias Criacionistas sobre a Evolução

Seguem abaixo algumas das afirmações equivocas mais comuns a respeito das teorias evolucionistas, seguidas pelos devidos esclarecimentos. Algumas são tão absurdas e refletem tamanha ignorância que beiram o ridículo.

A evolução nega a existência de Deus
Errado. As teorias evolucionistas, como ciências que são, não apresentam entre os seus objetivos a prova da existência ou inexistência de um Criador. Divindades constituem o objeto de estudo única e exclusivamente das religiões, não da ciência. A ciência lida com o mundo material, físico e objetivo. A religião lida com a fé e o metafísico. São campos de conhecimento completamente diferentes e que jamais deveriam tentar sobrepujar um ao outro. As teorias evolucionistas demonstram apenas que os seres vivos evoluem. Em nenhum momento elas abordam se isso seria vontade ou não de uma entidade superior criadora. Isso é indiferente do ponto de vista científico.

Os evolucionistas são todos ateus
Errado. Embora existam muitos cientistas (incluindo biólogos evolucionistas) ateus, aceitar a evolução não é sinônimo de ateísmo, conforme explicado acima. O próprio Charles Darwin não era ateu. Na verdade, a maior parte dos pesquisadores que estudam a evolução biológica é teísta, ou seja, acredita numa força superior.

Faltam evidências da evolução
Errado. Já existe um número suficiente de evidências que validam a evolução. Claro que, como ocorre em TODAS as áreas da ciência, ainda há muitas perguntas sem respostas sobre alguns detalhes. Muitos leigos confundem isso.

Evolução é apenas uma teoria
Esta afirmação ilustra uma total ignorância sobre o verdadeiro significado do termo teoria. Sob este prisma, teoria seria um mero palpite, uma suposição sem nada para sustentá-la. Em ciência teoria tem um significado completamente diferente.

O homem veio do macaco
Errado. Tal afirmação foi e ainda é responsável pelo surgimento de muitos criacionistas. Muitas pessoas se tornaram anti-evolucionistas por não gostarem da idéia de ter um parentesco com os macacos. É uma das maiores confusões já criadas na história da ciência. O ser humano é um mamífero pertencente à ordem dos primatas, juntamente com todos os macacos, lêmures, társios, lóris e outros animais semelhantes. Entre as principais características dos primatas destaca-se a visão como o sentido mais desenvolvido, olhos frontais e mãos dotadas de um polegar opositor. Como mamífero primata, o Homo sapiens apresenta todas elas. Pelas semelhanças óbvias, acredita-se que a espécie humana e os grandes símios (gorilas, chimpanzés, bonobos e orangotangos) tenham um ancestral comum, ainda desconhecido. Os nossos ancestrais hominídeos não vieram dos grandes macacos. Estes evoluíram separadamente e na mesma época.

O homem é o ápice da evolução
Errado. Como comentei num post passado, a origem deste pensamento vem da teoria original de Charles Darwin. Darwin acreditava que a evolução se dava dos seres mais simples até os mais complexos. A natureza mostra que nem sempre é assim. Como exemplo temos os seres que evoluíram para um modo de vida parasitário e se tornaram mais simples estruturalmente, como a solitária. Além disso, a evolução não apresenta um sentido ou propósito. As espécies apenas mudam para se adaptarem às condições ambientes. A partir daí podem tanto vir a se tornar mais simples como mais complexas.

Os fósseis dos chamados hominídeos na verdade são ossos de macacos e pessoas doentes ou com má formação
Errado. Há evidências suficientes de que tratam-se de várias espécies distintas. Algumas com acentuado grau de diferenciação; incluindo caixa craniana, dentição e dieta. E são bem diferentes dos macacos.

O Homem de Neanderthal (Homo neanderthalensis) era apenas um homem
Errado. Tanto os estudos anatômicos quanto os do DNA mitocondrial (mDNA) demonstram tratar-se de uma espécie diferente da nossa. Não é um ancestral nosso, como se imaginava até uns 10 anos atrás. Mas provavelmente temos com ele um ancestral comum muito próximo.

O Archaeopteryx é uma fraude
Errado. Desnecessário até comentar. Me fez lembrar de um certo criacionista do Orkut que, depois de ver uma série de imagens de fósseis linkadas por uma solícita e paciente paleontóloga, afirmou que qualquer um podia fazer aquilo no photoshop.Digno de pena.

Fraudes como a do Homem de Piltdown e do Archaeoraptor são provas de que a evolução é uma farsa
Errado. É como utilizar uma imagem fraudulenta de uma estrela ou constelação para desacreditar toda a astronomia. Uma afirmação fundamentada na completa ignorância sobre a metodologia científica. Inúmeras fraudes foram desmascaradas na história da ciência. Faz parte do processo. A própria ciência está em constante mudança. Como bem escreveu Marcelo Gleiser: O fato de teorias não serem perfeitas é fundamental para o progresso da ciência. Caso contrário, não restaria aos cientistas nada a fazer.

Darwin negou a evolução no seu leito de morte
Esta afirmação absurda provavelmente foi inventada por algum criacionista que soube que Charles Darwin fora nascido e criado numa família cristã, mas que não se deu ao trabalho de ler toda a sua biografia. Este fato nunca ocorreu. E caso tivesse ocorrido não faria diferença alguma, pois a teoria elaborada pelo naturalista inglês se mantém coerente. A validade de uma teoria é mantida por verificações e experimentações e não por uma negação ou confirmação de seu autor original.

Não existem espécies transicionais (intermediárias)
Errado. Esta afirmação contém um duplo equívoco. Primeiro, o que seria uma forma transicional? De certa maneira, todas as formas de vida podem ser consideradas transicionais, pois evoluíram a partir de outras formas de vida e estão por sua vez, evoluindo para outras. Agora, se considerarmos como formas transicionais aquelas que apresentam características híbridas (de dois grupos distintos), ainda assim a afirmação estaria falsa, pois o registro fóssil contém vários exemplos deste tipo: anfíbios basais dotados de nadadeira caudal, répteis com características de mamíferos, protobaleias dotadas de patas e dinossauros emplumados de anatomia aviana. Só não vê quem não quer.

Os "elos perdidos" nunca foram encontrados
Falácia desprovida de qualquer sentido. O que seria um "elo perdido"? Para a ciência existem apenas "elos" encontrados. E em ciência, a ausência de evidências não significa evidência de ausência.

A existência dos "fosséis vivos" é uma prova de que a evolução não existe
Errado. Alguns chamam de "fósséis vivos" os seres cujo tipo básico estrutural sobrevive a milhões de anos sem grandes mudanças; como tubarões, baratas, gambás e os peixes celacantos. Criacionistas mal-informados gostam de citá-los, sob a idéia equivocada de que tipos supostamente tão antigos deveriam ter se extinguido e dado origem a outros supostamente "mais evoluídos". O fato de alguns seres vivos mudarem tão pouco durante sua evolução significa que eles não "precisaram" mudar. Apenas isso. Não invalida em nada a evolução. E é mais uma prova de que a mesma não tem um propósito ou direção.

A datação do Carbono 14 (C14) é falha
Realmente é, para amostras com mais de 50.000 anos. Ocorre que a história da vida na Terra tem quase 4 bilhões de anos. O C14 quase não é usado com este propósito. Para isso existem outros materiais com período de mea vida bem mais longo, como o Rubídio e o combinado Uranio-Chumbo.

A 2ª Lei da Termodinâmica invalida a evolução
Errado. Esta provavelmente foi inventada por algum físico criacionista que não sabia nada de biologia, ou um daqueles fanáticos seguidores de Descartes, que acham que bastam a matemática e a filosofia para explicar tudo. Para começo de conversa, esta lei trabalha com sistemas fechados (que não trocariam matéria e energia com o meio externo). Qualquer estudante de biologia sabe que um ser vivo NÃO É um sistema fechado. Além disso, a própria 2ª lei admite pequenas variações de ordem e desordem no decorrer do processo envolvendo um sistema, como se pode ver aqui e aqui.

Nenhuma espécie nova está sendo formada atualmente
A especiação é um fenômeno difícil de ser acompanhado por um indivíduo humano, pois demoraria milhares e até milhões de anos. Mesmo assim, há casos comprovados de espécies incipientes (leia-se subespécies que estão se diferenciando, e provavelmente virão a se tornar espécies novas) de aves e salamandras; além de vários trabalhos mostrando espécies incipientes de moscas Drosophila e vermes Nematoda desde a década de 1970.

O grande mistério sobre a origem da vida invalida a evolução
Errado. Origem e evolução da vida são temas distintos. Óbvio, que como todos os assuntos dentro da biologia, estão relacionados; mas não são dependentes um do outro. Alguns não-biólogos gostam de levantar esta questão sem fundamento. As teorias evolucionistas em nenhum momento lidam com a origem da vida.

Por enquanto é só. Se algum leitor se lembrar de algum outro equívoco que eu não postei aqui, por favor, me mandem. Terei o maior prazer em publicar!

Um comentário:

W. S. R. disse...

Faltou aquela clássica de dizer que a evolução ocorre ao acaso, e aquela p'rá lá de manjada que diz que a evolução é uma teoria em crise.
Os argumentos são sempre os mesmos, não é difícil esquecer.